Mineradora de bitcoin Giga Watt fecha as portas após pedido de falência


A Giga Watt, empresa de mineração de bitcoin nos Estados Unidos encerrou suas atividades na semana passada, segundo o Coindesk, que obteve cópia de um email enviado pela empresa a seus colaboradores na mesma data.

De acordo com o documento, mesmo depois do pedido de concordata em um tribunal de Washington em novembro do ano passado quando declarou sua falência, a empresa ainda persistiu nas atividades, porém, sem sucesso.

O email dizia que os usuários que tivessem concluídos o KYC (Know Your Customer) que é uma verificação completa do cliente, poderiam retirar suas criptomoedas a qualquer momento, sendo o mês de março o prazo final.

O diretor da mineradora, Andrey Kuzenny, que detém mais de 10% de participação na empresa e também administra o canal oficial da Giga Watt no Telegram, confirmou ao site a veracidade do email.

Kuzenny, contudo, se negou a comentar a fundo sobre o encerramento, alegando que não poderia dar mais detalhes por razões legais.

A empresa se comprometeu a manter os clientes atualizados. No entanto já deixou claro de que os tokens nativos da Giga Watt, ‘WTT’, não poderão ser convertidos para outras criptomoedas. Esta foi a resposta a um cliente via Telegram.

Avisou, também, que os equipamentos dos clientes que solicitaram a retirada antes do encerramento da empresa lhes serão entregues conforme forem atualizando as informações. Já aqueles que possuem as máquinas dentro das instalações terão que aguardar novos procedimentos.

O contato, disse a empresa, será via email e deve acontecer em duas semanas. Eles vão informar conforme os trâmites legais em andamento forem esclarecidos.

O pedido de falência

Giga Watt entrou com um pedido de concordata no dia 19 de novembro de 2018 no Tribunal de Washington. Na ocasião, a empresa alegou que não conseguiu pagar seus 20 maiores credores e que suas dívidas já superavam US$ 7 milhões.

O pedido de falência deu-se após uma reunião especial entre os acionistas da mineradora uma dia antes de seguirem para Washington. Eles havia chegado à conclusão de que a corporação estava insolvente e incapaz de pagar suas dívidas.

Preço e mineração de bitcoin em baixa

A queda da Giga Watt acontece em um tempo difícil tanto para investidores do bitcoin quando para o setor de mineração em geral.

Os mineradores não conseguiram manter a mineração, mesmo com a queda da dificuldade, uma vez que não era rentável.

É por isso que vários equipamentos de mineração estão sendo desligados ao mesmo tempo que fazendas inteiras fecham suas operações.

A Bitmain, por exemplo, que é a maior empresa de mineração de bitcoin do mundo, tem fechado escritórios e encerrado projetos de novas instalações por conta do atual momento.

Não se pode esquecer de que a Bitmain pretende abrir seu capital na bolsa de valores de Hong Kong. Portanto, a ação de renovação no quadro de pessoal pode estar associada a projetos futuros.

No prospecto de IPO (Oferta Pública Inicial) da Bitmain ao órgão regulador chinês em setembro do ano passado, constava que a empresa tinha mais de 2.500 funcionários, sendo 1.500 dedicados à pesquisa e gerenciamento de produtos, 535 aos negócios de mineração e 550 que trabalham no suporte ao cliente e vendas.


Guia da Crypto