Fundador de exchange Canadense morre e R$ 700 milhões em criptomoedas estão perdidos


A maior exchange de criptomoedas do Canadá, a QuadrigaCX, entrou com pedido de proteção ao credor na Suprema Corte da província de Nova Escócia devido à suposta perda das chaves privadas.

No dia 31 de janeiro, uma semana após a plataforma ficar inacessível, a exchange comunicou que o pedido foi feito de acordo com a lei federal canadense ‘Lei de Acordos de Credores das Empresas’ (CCAA).

A diretoria da exchange também indicou a empresa de auditoria Ernst & Young para acompanhar e avaliar todo o processo, mas isso será decidido no tribunal em uma oitiva solicitada para a próxima terça-feira (05).

Falecido era o único que possuía as chaves

A única pessoa que tinha acesso às chaves das carteiras era Gerald Cotten, fundador e CEO da QuadrigaCX. Ele morreu na Índia em dezembro do ano passado aos 30 anos.

Caso o fato seja confirmado pela justiça, Cotten levou consigo para sempre o acesso a US$ 180 milhões em BitcoinEthereumBitcoin CashLitcoin e US$ 70 milhões em fiat.

O montante totalizou, então, 250 milhões de dólares canadense (cerca de R$ 700 milhões) pertencentes a 115 mil usuários.

O informação veio à tona quando a Coindesk conseguiu uma cópia do depoimento da viúva de Cotten, Jennifer Robertson, diretora da exchange.

Ela descreveu a morte do marido como repentina e que ficou de posse a seu laptop, mas não conseguiu o acesso por ser criptografado. Ela não possuía nenhuma chave privada.

Segundo a diretora, o laptop era o único dispositivo que Cotten usava para conduzir tudo a respeito da exchange.

“O computador laptop do qual ‘Gerry’ conduziu os negócios é criptografado e eu não sei a senha ou a chave de recuperação. Apesar de vários esforços em buscas, não consegui encontrá-las em nenhum lugar”, diz o documento assinado pela viúva.

Usuários iniciam teorias da conspiração

No Reddit, os usuários têm mostrado desconfiança do fato e até mesmo duvidado da morte do empresário

“Precisamos de provas”, disse o usuário ‘kingsosshoota’. “Nós precisamos do endereço da carteira offline, fotos do cadáver, cópia do passaporte onde consta a entrada na Índia, imagens de câmera de segurança para ver quem estava com ele ou o que portava como bagagem”, concluiu.

Já um outro usuário, ‘justinbeebers’, fala diretamente em golpe e mentiras.

“Cotton planejou isso, forjou sua morte, instruiu Jennifer a interpretar o papel de ‘viúva desnorteada’ e passou a bola para os tribunais canadenses”.


Guia da Crypto